Log in

Regina Souza promove lançamento do álbum "Chegaí"

Regina Souza Márcia Charnizon Regina Souza

Em junho completou um ano que a cantora e compositora mineira Regina Souza lançou o seu quarto álbum solo e o primeiro totalmente autoral. Mas só agora, um ano depois, divulga nacionalmente esse novo trabalho. A pausa entre o lançamento e a divulgação se deu em função do avanço da pandemia, impactando significativamente o setor cultural.

Gravado durante os meses de janeiro e fevereiro de 2019, Chegaí, título do álbum, veio depois de uma bem-sucedida temporada de shows realizados na Casa Outono, em Belo Horizonte, e antes da cantora embarcar para um período de Mobilidade Acadêmica na Universidade do Porto, em convênio com a PUC Minas, sua Universidade no Brasil, onde estuda Filosofia.

Em paralelo à rotina de estudos, Regina Souza preparava o lançamento do disco, a pandemia interrompeu os planos e a opção foi de postergar o lançamento, mas disponibilizar a obra nas plataformas e redes sociais sem nenhum alarme, aguardando o momento mais oportuno.

Com produção musical de Du Macedo e Regina, e co-produção de Felipe Fantoni, o álbum apresenta 13 canções autorais em ritmos como samba, baião, ijexá. Um caderno e um violãoPar perfeitoChegaíViva o agoraVentoMeu ser Galo cantou (que traz a incidental Pagode sem fim, de Du Macedo) chegam com esses ritmos e temas sobre o amor e reflexões pessoais sobre a vida. Adjutório tem uma sonoridade próxima do carimbó e uma brincadeira com essa palavra que já não faz parte do vocabulário cotidiano. Baladinha, traz um olhar sobre o mundo virtual, e Replay, um reggae, aonde as situações da vida parecem não sair do lugar. A sua ligação com a espiritualidade e sincretismo religioso aparecem em Pra IansãGira e Lua vermelha.

Chegaí é o primeiro álbum totalmente autoral da artista. Outonos, lançado em 2008 e produzido pelo carioca Rodrigo Campello, já trazia letras de Regina musicadas por Vander Lee, Lokua Kanza, Affonsinho, Flávio Henrique e Zeca Baleiro.

O álbum foi gravado no estúdio Leve Music, em Belo Horizonte, com Regina no violão e voz, Du Macedo no vilão, cavaquinho, guitarra e vocal, Cláudio Queiroz na percussão e bateria e Fred Jamaica no baixo e vocais. A mixagem e masterização foi de Felipe Fantoni.

Depois de um ano do lançamento, de quase um ano da sua volta ao Brasil, de algumas Lives realizadas, Regina Souza tem encontrado mais espaço para divulgação do seu novo trabalho 
 
Programação de lançamento do álbum Chegaí
No segundo semestre de 2021, Regina é convidada do Festival Para Sempre Vander Lee,  uma homenagem ao cantor e compositor que faleceu em agosto de 2016, com quem Regina foi casada de 1999 a 2013. No Festival, Maurício Tizumba recebe artistas mineiros interpretando canções do poeta.

O álbum Chegaí está disponível em todas as plataformas digitais, os clipes das canções Pra Iansã, Vento, Par perfeito e Baladinha estão disponíveis no canal do YouTube criado recentemente, www.youtube.com/c/reginasouzaoficial, e o álbum também é divulgado em suas redes sociais, Instagram e Facebook @reginasouzaoficial.
 
Sobre Regina Souza
Chegaí é o quarto álbum solo da cantora, que tem em sua discografia os discos Regina Spósito, com produção de Flávio Henrique (2001), Outonos (2008),  Inversões (2015), ambos com produção de Rodrigo Campello, sendo esse último com direção artística de Pedrinho Alves Madeira.

lém dos trabalhos solo, Regina gravou em parceria com Marina Machado o CD Hebraico (1997), com produção musical de Ivan Corrêa, um projeto da fotógrafa Márcia Charnizon,  e o CD Marionetes, uma homenagem ao seu tio, o compositor Francisco Mário, com produção do filho de Chico, o compositor e arranjador Marcos Souza. 

Regina participou dos CDs FaroSambarroco e DVD Entre, do cantor e compositor Vander Lee, e de vários shows e turnês do artista.

É atriz convidada do Grupo Galpão no espetáculo Os gigantes da montanha, de Luigi Pirandello, dirigido por Gabriel Villela, participou do musical Os Saltimbancos, da Cia. Odeon, com direção de Carlos Gradim, O mercador de Veneza, de William Shakespeare, dirigido pela britânica Catherine Paskell, um projeto do Fórum Shakespeare, do People's Palace Projects. Foi fundadora da Cia. Burlantins ao lado de Marina Machado e Maurício Tizumba, aonde permaneceu por 15 anos e atuou nos espetáculos da Cia., entre eles  O homem da gravata florida e a opereta O homem que sabia português, dirigidos por Chico Pelúcio, sendo a opereta com música e libreto de Tim Rescala.

Através de sua produtora, a Souza Produções, realizaou uma parceria com a Immagini Animation Studios Brasil, e lançou no ano de 2017 o filme de animação A Zeropeia, uma história de Herbert de Souza, o Betinho, com músicas originais de Vander Lee, Flávio Henrique, Chico Amaral, John Ulhoa e Affonsinho, e as vozes de Robertho Carlos Ramos, Sérgio Pererê, Regina Souza, Marina Machado, Marku Ribas, Maurício Tizumba, Fernanda Takai, Vander Lee e Laura Catarina. O filme ganhou o Prêmio FESTinha do Júri Popular de Melhor Filme Infantil, no 10º Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, em maio de 2019, em Lisboa.
 
Regina Souza atua na cena artística mineira desde 1991. É formada em Comunicação Social pela PUC Minas, e atualmente está na sua segunda graduação, no curso de Filosofia também na PUC Minas.
 
::SERVIÇO::
 
Regina Souza promove lançamento do álbum Chegaí
Disponível em todas as plataformas digitais e nas redes sociais da artista: @reginasouzaoficial
Os clipes das canções Pra Iansã, Vento, Par perfeito e Baladinha estão disponíveis no canal do YouTube: www.youtube.com/c/reginasouzaoficial

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner 468 x 60 px