Log in
Vitor Reis

Vitor Reis

URL do site: https://about.me/vitor.reis

Quality Digital está com mais de 70 vagas de tecnologia

Empresa com projetos em mais de 25 países têm posições remotas, híbridas e presenciais

Quality Digital, listada no Bovespa Mais (QUSW3) da B3, é uma das principais empresas de tecnologia do Brasil com expertise na aceleração digital dos negócios de seus clientes, com foco em Digital Strategy, Digital Business, Digital Commerce, Automation, IT Optimization e ESGRC (Auditoria, Governança, Risco e Compliance), anuncia mais de 70 vagas na área de tecnologia, distribuídas nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Recife, Santa Catarina, Alagoas e Distrito Federal.

A companhia com mais de 33 anos de fundação, atua em todo o território nacional e conta com escritórios em São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro, além de sedes na Europa, Espanha, EUA e tem projetos em mais de 25 países. No portfólio, a Quality Digital atende marcas como, Electrolux, O Boticário, Claro, Volvo, entre outros.

Entre as oportunidades disponíveis na empresa, destacam-se vagas:

  • Service Desk
  • Administrador de redes
  • Analista de BI
  • Analista de infraestrutura
  • Analista de negócios
  • Analista de qualidade e processos
  • Analista de suporte técnico
  • Técnico de suporte
  • Analista de Telecom
  • Auxiliar de serviços gerais
  • Coordenador de operações
  • Program manager
  • Gerente de projetos
  • Analista de qualidade de software
  • Desenvolvedor em PowerBuilder, Web, Mobile, Back-end, Front-end

A Quality Digital oferece benefícios como, vale-alimentação ou vale-refeição, Gympass, vale-transporte, assistência médica e odontológica e auxílio creche.

Para se candidatar, os interessados devem se cadastrar na página de carreiras da Quality Digital.

Sobre a Quality Digital

Com mais de 33 anos de história, a Quality Digital é uma das principais empresas de tecnologia do Brasil tendo como diferencial a habilidade de criar experiências digitais únicas, e em múltiplos canais.

A missão da Companhia consiste em acelerar digitalmente os negócios de seus clientes com soluções criativas, inovadoras e de alto valor com foco em Strategy, Business, Commerce, Automation, IT Optimization e ESGRC (Auditoria, Governança, Risco e Compliance).

Com isso, auxilia as empresas a terem melhor performance operacional, governança e comunicação com seus clientes usando plataformas digitais, equipes especializadas e metodologias para promover a aceleração digital.

A Quality Digital tem cases de sucesso nas verticais de indústria, aeroportuária, utilities, varejo, e-commerce, telecom, saúde, agribusiness, construção civil, seguros, transportes, prestadoras de serviços, financeiras, além de instituições do governo além de instituições do governo federal e estadual, sendo uma das maiores empresas de TI do Brasil, com mais de 1.900 colaboradores.

Presente em todo o território nacional, com escritórios em São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro, além de sedes na Europa, Espanha, EUA e Paraguai, já soma projetos em mais de 20 países e mais de 300 clientes ativos.

A Quality Digital é uma empresa certificada pela ISO/IEC 20000-1:2018 e HDI, que valoriza as pessoas, sua cultura e gestão Lean, fortalecendo a cultura de melhoria contínua e o comprometimento por fazer mais e melhor.

Premiado em Veneza, o Drama LGBTQIA+ "Lobo e cão" estreia dia 7 de setembro nos cinemas pela Filmicca

O filme é dirigido pela portuguesa Cláudia Varejão e recebeu da diretora Céline Sciamma o prêmio de melhor filme na Jornada dos Autores do Festival de Veneza

*** ASSISTA AO TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=f6XuYvC40Bw

Estreia no dia 7 de setembro nos cinemas do país, “Lobo e Cão” - primeiro longa de ficção da célebre diretora portuguesa Cláudia Varejão. O drama LGBTQIA+ recebeu o prêmio de Melhor Filme da mostra Jornada dos Autores, do Festival de Veneza, em um júri presidido por Céline Sciamma.

O filme narra a história de Ana – que nasceu em São Miguel, uma ilha no meio do Oceano Atlântico marcada pela religião e pelas tradições. É a filha do meio de três irmãos que vivem com a mãe e a avó. Ana percebeu cedo que as garotas têm tarefas distintas dos rapazes. Através da sua amizade com Luís, seu melhor amigo queer, que gosta tanto de vestidos quanto de calças, Ana questiona o mundo como foi lhe prometido. Quando sua amiga Cloé chega do Canadá, trazendo com ela os dias brilhantes da juventude, Ana embarca numa viagem que a levará a atravessar a linha do horizonte.

Com distribuição da Filmicca, “Lobo e Cão” foi assim descrito por Céline Sciamma e o Júri da mostra Jornada dos Autores, do Festival de Veneza 2022: “O mundo imersivo criado no filme nos envolveu no assunto importante, apresentando os personagens queer como eles são em seu espaço seguro. Descobrimos que os elementos de documentário contribuíram para a eficácia e autenticidade da narrativa. O júri também apreciou o fato de o filme não agradar ao espectador em sua representação franca, honesta e impactante de uma comunidade queer coesa. Nós, como júri, achamos que a mensagem desta história é extremamente importante e é um prazer conceder este prêmio ao merecido filme de Cláudia Varejão”.

O longa – que em outubro também estará disponível no streaming da Filmicca, é uma ode encantadora à comunidade LGBTQIA+ da ilha, com um brilho crepuscular que atravessa o imenso Oceano Atlântico O filme contou com a colaboração da escritora brasileira Leda Cartum no roteiro.

 

O QUE A IMPRENSA INTERNACIONAL ESTA FALANDO SOBRE O FILME

“Explora a dicotomia entre expetativas e ambições, numa busca incansável mas nunca gratuita de encontrar espaço para outras formas de ser, viver e existir.” Jorge Pereira Rosa, C7NEMA


“Nesta vertigem de contar histórias, onde jovens atores encenam a própria vida ou a sonham maior, Cláudia Varejão reinventa o filme adolescente queer, sem roteiro. Os estados de amor estão lá. E identidades flutuam como redes no mar.”
 Cl. F., Le Monde

 

“Um filme absolutamente essencial, do qual é impossível sair da mesma forma que se entrou.” Cátia Santos, Cinema Sétima Arte


“Combinando intensidade e graça, a cineasta portuguesa Cláudia Varejão segue o futuro a ser inventado por adolescentes açorianos, entre tradições familiares e comunidade LGBTQIA+.”
 Luc Chessel, Libération

 

“Áspera como Pialat, evanescente como Jarman.” Xavier Leherpeur, L'Obs

 

“Entre o documentário e a ficção, o filme é visto como um fascinante e melancólico mergulho na vida de uma jovem em busca de sua identidade.” Margherita Gera, Les Fiches du Cinéma

 

“Maravilhosamente filmado por Rui Xavier, LOBO E CÃO parece uma narrativa observacional que eventualmente transcende um senso de neorrealismo para algo mais sublime.” Nicholas Bell, IONCINEMA.com

 

“A cineasta portuguesa Cláudia Varejão apresenta um longa-metragem poderoso e onírico, um retrato intransigente de uma geração que luta para existir.” Muriel Del Don, Cineuropa

 

“É um belo filme repleto de imagens impressionantes e abundância de emoção, que trabalha em conjunto com a imensa arte para criar algo verdadeiramente especial.” Matthew Joseph Jenner, International Cinephile Society

 

“Captura perfeitamente a pressa e a ambiguidade da vida adolescente.” Jennie Kermode, Eye for Film

 

“A realizadora portuense trabalhou com atores não profissionais para criar a sua primeira ficção. Uma história de "coming of age", com o amor e a ilha de São Miguel como personagens principais.” André Almeida Santos, Observador

 

EQUIPE E ELENCO

Direção e Roteiro: Cláudia Varejão

Elenco: Ana Cabral, Ruben Pimenta, Cristiana Branquinho, Marlene Cordeiro, João Tavares, Nuno Ferreira

Direção de Fotografia: Rui Xavier

Colaboração no Roteiro: Leda Cartum

Editor: João Braz

Som e Mixagem: Olivier Blanc, Hugo Leitão

Música: Xinobi

Produtor: João Matos e Jérôme Blesson

Produção: Terratreme Filmes

Coprodução: La Belle Affaire Productions

 

FICHA TÉNICA

Título: Lobo e Cão

País: Portugal e França

Duração: 111 min.

Ano: 2022

Gênero: Drama

Classificação: A14

Data de Estreia em Cinemas Selecionados: 7 de Setembro de 2023

Fotos em alta: https://we.tl/t-qk55B3pDTr

BIOGRAFIA | CLÁUDIA VAREJÃO

Nasceu em Porto, Portugal, em 1980. Cláudia Varejão frequentou o programa de criatividade e criação artística da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e a Academia Internacional de Cinema de São Paulo. Paralelamente ao trabalho de diretora, Cláudia também é fotógrafa e professora convidada do AR.CO e da Universidade Católica do Porto. Os filmes de Cláudia foram selecionados e premiados nos mais prestigiados festivais de cinema, incluindo Locarno, Rotterdam, Nyon (Visions du Réel), Paris (Cinéma du Réel), Karlovy Vary e Art of the Real – Lincoln Center, entre muitos outros. “Lobo e Cão” é seu primeiro longa-metragem de ficção.

Marcelo Casanova conquista medalha de bronze nos Jogos Mundiais da IBSA

Atleta do Recreio da Juventude subiu ao pódio na principal competição antes das Paralimpíadas

Faltando um ano e quatro dias para o início dos Jogos Paralímpicos de Paris, Marcelo Casanova subiu ao pódio mais importante da sua história no Judô nesta quinta-feira, 24. O atleta do Recreio da Juventude conquistou a medalha de bronze dos Jogos Mundiais da IBSA (Federação Internacional de Esportes para Cegos), na categoria J-2, no peso médio (-90kg), em Birmingham, na Inglaterra. É um resultado expressivo para quem está em busca de confirmar uma vaga na principal competição esportiva do próximo ano.
 
Por conta da chave, Casanova precisou lutar um combate a mais do que a maioria de seus adversários. No primeiro confronto, diante de Galymzhan Smagululy, do Cazaquistão, o judoca do Recreio teve o domínio da luta, mas sem conseguir encaixar os golpes. O adversário, que evitava o combate em boa parte do tempo, tomou três punições da arbitragem, o que deu a vitória para o brasileiro. A segunda luta, contra o sul-africano Jacque Joubert, Casanova já vencia quando a arbitragem novamente deu a terceira advertência para o rival, faltando 1m27seg para o encerramento do confronto.
 
Nas quartas de final, o confronto mais tenso de Marcelo. Diante do britânico Evan Molloy, que contou com o apoio da torcida local, a vitória veio carregada de emoção. Faltando 41 segundos para o término da luta, o atleta da casa teve um golpe considerado pela arbitragem no tatame 2 da Universidade de Birmingham. Porém, após revisão do assistente de vídeo, a pontuação foi retirada por não ter sido aplicada a técnica de maneira correta. Após o longo tempo de parada para a conferência do lance, Casanova pontuou faltando 24 segundos e garantiu a passagem para a semifinal.
 
No enfrentamento que definia o primeiro finalista, a única derrota de Casanova. O adversário foi o francês Helios Latchoumanaya, número 1 do Mundo e que acabou com o ouro no Mundial. O rival conseguiu um ippon e deixou Marcelo com a possiblidade de lutar pelo bronze. E no caminho do pódio, o italiano Simone Cannizzaro. Apesar de um equilíbrio inicial, logo o judoca do Recreio tomou conta do combate e fez o primeiro ponto com pouco mais de um minuto de luta. E, faltando 2min29seg para o encerramento do tempo, Marcelo Casanova aplicou o golpe perfeito e conquistou a sonhada medalha mundial.
 
- É uma felicidade muito grande, é a coroação de um trabalho de muito tempo. São pontos muito importantes para a classificação no ranking (que classifica para os Jogos de Paris). Estou muito feliz - disse o sorridente Marcelo Casanova após a cerimônia do pódio.
 
Depois da conquista, o técnico Giovani Cruz, que está na Inglaterra representando o Recreio ao lado de Casanova, celebrou a conquista do judoca:
 
- É a sensação de dever cumprido para esse momento. Nada disso seria possível se não tivéssemos uma comissão técnica do Clube tão competente, parceira, que pega junto. Agora também a nossa comissão multidisciplinar, que fez de tudo para que ele chegasse nas melhores condições. A nossa prepação física, com o Aquila (Roggia), que botou o Marcelo na "ponta dos cascos" e vimos isso aqui, que ele estava muito bem fisicamente. E a parte técnica, só alguns errinhos contra o francês, mas o resto conseguimos corrigir e buscar essa medalha de bronze - afirmou o treinador, sem esconder a sensação com o bronze:
- Eu estou muito emocionado. Cada vez que me lembro, eu choro. Ver esse gurizinho, que chegou lá para mim meio gordinho, como quem não quer nada, e agora está conquistando o Mundo.
 
Nesta sexta-feira, Casanova ainda defende o Brasil na competição por equipes, onde tentará mais uma medalha nos Jogos Mundiais. Na temporada individual, além da sequência do Grand Prix, o atleta do Recreio ainda tem a expectativa de convocação para os Jogos Parapan -Americanos, em Santiago, no Chile, no mês de novembro.

[HAVAIANAS NO MUNDO] História de internacionalização das Havaianas vira livro

Como a sandália criada na década de 1960 passou a ser vendida em mais de 150 países e se tornou ícone no mundo da moda

Quem nunca usou uma sandália das Havaianas na vida? O calçado mais famoso do Brasil e que ganhou visibilidade internacional a partir dos anos 2000 pode, hoje, ser comprado em mais de 150 países. Mas como começou a história da internacionalização da marca? Quem teve a ideia de transformar o “chinelo de dedo” num ícone brasileiro e exportá-lo como um objeto quase que cultural? Em “Havaianas: A internacionalização de um ícone brasileiro” (Lisbon International Press) descortinamos essas e várias outras curiosidades sobre a marca. A obra que, em seu lançamento, vendeu mais de cem livros, pode ser encontrada nas maiores livrarias online do país.

Entre os anos de 2000 e 2010, as vendas das Havaianas deram um salto estratosférico: passaram de 9 para mais de 80 países e chegaram aos pés de milhões de pessoas em 5 continentes. O produto, inclusive, ganhou status de ‘top of mind,’ prestígio jamais alcançado por outra marca brasileira de qualquer segmento de mercado.

As Havaianas são um item usado por pessoas comuns e famosas, capaz de gerar interesse para a criação de parcerias com estilistas dos mais renomados. Elas são donas de substancial fatia do mercado e gozam de destaque na imprensa nacional e internacional, fatores que fazem o “Case Havaianas” ser amplamente estudado e debatido por especialistas de mercado. As sandálias são motivo de orgulho dos brasileiros quando vemos alguém de outro país calçando as “nossas sandálias”.

“Diferenciar as Havaianas de sandálias baratas produzidas na Asia, quando ainda não era conhecida no exterior foi um grande desafio. Mantivemos o foco na proposta de valor da marca que representávamos e, aos poucos, conseguimos transpor tais barreiras, firmando a marca de fato numa nova categoria”, explica Alexandre Utino, um dos coautores de “Havaianas: A internacionalização de um ícone brasileiro”.

Em seu planejamento de expansão, a Alpargatas (empresa criadora e dona das Havaianas) montou um seleto time de profissionais para catapultar a marca do Brasil para o exterior. Alexandre Utino, Eduardo Bissoli, Renato Pinheiro e Sérgio Sanches foram contratados para trabalhar em um projeto de internacionalização da empresa a partir do ano 2000.

“Durante muitos anos, sempre surgiram dúvidas de pessoas próximas, de como as Havaianas conseguiram participar de eventos de repercussão mundial como o Oscar da academia de Holllywood ou dos desfiles de moda mais badalados de Nova Iorque. Nesta obra, explicamos os detalhes de como foi negociar e preparar a participação nestes eventos”, revela Eduardo Bissoli, executivo que trabalhou na Alpargatas e também é um dos autores desta obra.

Apesar do grande sucesso obtido pela marca, o livro não pode ser considerado um conto de fadas ou mesmo uma história sem percalços. “Havaianas: A internacionalização de um ícone brasileiro” convida o leitor a entender um pouco mais da história de uma marca que deixou de calçar apenas os pés de brasileiros para explorar o mundo, adaptando-se para atender as necessidades de cada mercado que escolhia desbravar.


Sobre os autores:

Alexandre Utino é formado em Administração pela Universidade Paulista e pós-graduado em Economia Política Internacional pela Universidade de Tsukuba – Japão, atua há mais de 24 anos no desenvolvimento de negócios internacionais de empresas como Fuji Film, Marubeni, Alpargatas, SAB Company e JBS Foods (Seara), além de empreender em projetos de consultoria e trading.

Eduardo Bissoli é empresário e executivo com mais de 25 anos de experiência em desenvolvimento de negócios internacionais, graduado em Comércio Exterior e com pós-graduação em Marketing pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi responsável pelas áreas de Comércio Exterior em multinacionais como Petroquímica União, Kostal Eletromecânica, Nestlé Brasil, Alpargatas Brasil / Alpargatas USA e Pentland Brands.

Renato Pinheiro é graduado em Administração de Empresas e com MBA em Finanças (BBS - Brazilian Business School) e em Gestão de Negócios (INSPER/SP), além de um Summer MBA em MKT (UR-USA), Renato possui carreira de mais de 20 anos na Área de Desenvolvimento de Negócios Internacionais. Foi executivo de empresas como Alpargatas, DASS e ASICS e atualmente, é consultor em desenvolvimento de negócios internacionais.

Sérgio Sanches é consultor no campo do desenvolvimento de negócios internacionais. Formado em Administração de Empresas pela PUC, com especializações pela FGV, Stanford University e Hong Kong University, Sérgio fez carreira em empresas como Nestlé, Alpargatas e Li & Fung. Integrou o primeiro time que planejou e realizou a internacionalização da marca Havaianas.

 

Livro: Havaianas - A internacionalização de um ícone brasileiro

Autores: Alexandre Utino, Eduardo Bissoli, Renato Pinheiro e Sérgio Sanches

Editora: Lisbon International Press

Páginas: 370

Preço: R$ 57,90

Adquira o livro em: https://www.livrohavaianas.com.br/ ou nas principais livrarias online do país

Instagram: @livrohavaianas

Banner 468 x 60 px