Log in
Vitor Reis

Vitor Reis

URL do site: https://about.me/vitor.reis

Instituto Inhotim promove a segunda edição do programa "O que é...?" no dia 26 de maio

A partir da pergunta "o que é um rio?", artistas convidados conduzem o público a uma nova experiência no museu


Brumadinho, MG - Dando continuidade ao programa "O que é...?", no dia 26 de maio o Inhotim promove a segunda edição e traz a pergunta "O que é um rio?". A provocação é o impulso para o público experimentar o museu em suas diversas áreas: Arte, Educação, Música e Botânica. A edição conta com o artista davi de jesus do nascimento e seu pai, Davi Nascimento, o mestre griot senegalês, Pape Babou Seck, e a cantora e compositora Ava Rocha com o show Femme Frame Rio.

Serão três momentos ao longo do dia - às 11h, 14h e 16h - em que o público é instigado a refletir sobre este interrogante a partir de diferentes linguagens e participar de ações, falas públicas e visitas temáticas no Instituto. As vagas são limitadas e as inscrições são feitas no local, por ordem de chegada.

"O projeto parte sempre de uma pergunta poética como mote para experimentarmos o Inhotim de forma integral e transdisciplinar. Pensar a pedra, o rio, os sonhos é também uma forma de valorizar diferentes formas de vida, de conhecer e de criar. Queremos com o projeto propor a convivência e o diálogo como condição fundamental para a construção coletiva do conhecimento, na potente intersecção entre arte e natureza", diz Gleyce Kelly Heitor, Diretora de Educação do Inhotim. 

Serão, ao todo, seis encontros, tendo como mote urgências contemporâneas, tais como: O que é uma planta? O que é um sonho? O que é transmutar?, entre outros. O programa "O que é...?" é patrocinado pela Vale e o Itaú, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

"O QUE É UM RIO?" - PROGRAMAÇÃO

Domingo, 26 de maio

11h – Canoeiro se presenteia com remos, com Davi Nascimento e davi de jesus do nascimento

Davi Nascimento (BA) herdou de seus ancestrais saberes sobre embarcações e respeito às águas. Seu filho, Davi de Jesus do Nascimento (MG), convive desde pequeno com essa sabedoria, que deságua hoje em seus trabalhos artísticos. Abrindo a edição de maio de "O que é um rio?", pai e filho conversam sobre o rio e tudo aquilo que ele toca. Ao fim da conversa, um barco produzido em uma oficina com jovens de Brumadinho vai ser instalado no lago próximo ao Tamboril, onde será a atividade.

Local: Tamboril

Horário: 11h

Duração: 1h

Público: 50 vagas (ordem de chegada)

 

14h – Ser Griot, Ser Rio com Pape Babou Seck (Senegal)

Assim como as correntes do rio, os ritmos dos tambores d'água mostram que a ancestralidade não é algo que está no passado, mas que evoca um tempo duradouro, imenso e ainda presente. Em uma apresentação na Galeria Galpão, Pape Babou Seck, mestre griot senegalês da região de Saloum, traz tradições orais africanas e suas pedagogias, com a entidade Rio como grande conselheiro. Inscrição no local meia hora antes do evento.

Local: Galeria Galpão

Horário: 14h

Duração: 1h

Público: 50 vagas (ordem de chegada)

 

16h – Femme Frame Rio, com Ava Rocha

Adaptado especialmente para o Inhotim, Femme Frame Rio é um show de voz e piano em que Ava Rocha é acompanhada por Chicão. Nele, fluxos de seu repertório gravado e inédito se fundem a clássicos da música. Performática e emotiva, a apresentação é como um poema vivo que vai se tecendo em fluxo contínuo, com o rio como protagonista. O show vai ser próximo da obra Invenção da cor, penetrável Magic Square #5, De Luxe (1977), de Hélio Oiticica.

Local: Magic Square

Horário: 16h

Aberto ao público

 

INFORMAÇÕES GERAIS INSTITUTO INHOTIM

HORÁRIOS DE VISITAÇÃO

De quarta a sexta-feira, das 9h30 às 16h30.

Aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.

Nos meses de janeiro e julho, o Inhotim abre também às terças-feiras.


ENTRADA
Inteira: R$ 50,00 | Meia-entrada*: R$ 25,00.
*Veja as regras de meia-entrada no site: www.inhotim.org.br/visite/ingressos/

ENTRADA GRATUITA
Inhotim Gratuito:
Quarta Gratuita Inhotim: todas as quartas-feiras são gratuitas; Domingo Gratuito Inhotim B3: último domingo do mês é gratuito; moradores e moradoras de Brumadinho cadastrados no programa Nosso Inhotim; Amigos do Inhotim; Crianças de 0 a 5 anos.

LOCALIZAÇÃO
O Inhotim está localizado no município de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte (aproximadamente 1h15 de viagem). Acesso pelo km 500 da BR-381 – sentido BH/SP. Também é possível chegar ao Inhotim pela BR-040 (aproximadamente 1h30 de viagem). Acesso pela BR-040 – sentido BH/Rio, na entrada para o Retiro do Chalé.

INHOTIM LOJA DESIGN
A loja do Inhotim, localizada na entrada do parque, oferece itens de decoração, utilitários, livros, brinquedos, peças de cerâmica, vasos, plantas e produtos da culinária típica regional. É possível adquirir os produtos também na loja online.

GASTRONOMIA
O Inhotim oferece aos visitantes diferentes opções para alimentação. No tradicional Restaurante Tamboril, o público encontra um ambiente integrado aos jardins e ao acervo de arte contemporânea, com um cardápio a preço fixo, extensa carta de vinhos, além de uma mesa de sobremesas com doces diversos. Já o Restaurante Oiticica, localizado próximo à obra Invenção da cor, penetrável Magic Square #5, De Luxe (1977), de Hélio Oiticica, traz refeições self-service a quilo, com menu que inclui saladas e opções de caçarolas quentes. O Café das Flores, situado próximo à recepção do Inhotim, oferece em seu cardápio o clássico pão de queijo mineiro, além de opções de lanches, bolos e café. Mais opções de cafés, lanches rápidos, hambúrgueres e sobremesas são servidas nas imediações da Galeria True Rouge pelo OOP Café, na Galeria Miguel Rio Branco pelo Bayo, e na Galeria Galpão com a hamburgueria Hack. Completam as opções de alimentação no Inhotim a Casa de Sucos e a Pizzaria do Teatro.

 

O Inhotim tem a Vale como Mantenedora Master; a Cemig como parceira estratégica; Shell, Itaú e B3 como Patrocinadores Master e conta com o Patrocínio Ouro do Santander, da Volvo e da CBMM. Os patrocínios são viabilizados por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Flor Grassi lança EP "Novelo", dia 23 de maio, com participações de nomes como Juarez Moreira, Dan Oliveira e Marcos Frederico

Do choro ao samba jazz, lançamento celebra clássicos da música brasileira

A cantora e compositora carioca, residente em Belo Horizonte, Flor Grassi, lança no dia 23 de maio o EP "Novelo", com produção do selo Música aos Montes. O trabalho traz um ar nostálgico, fruto da identidade da artista que celebra clássicos da música popular brasileira. Do chorinho ao samba jazz, o lançamento brinca com arranjos instrumentais e vocais, que ressaltam a voz potente da cantora, e reverencia ícones, como Elis Regina e Chico Buarque. 

A artista, que morou no exterior de 2020 a 2023, comenta sobre o significado do trabalho: "Eu tinha muita saudade do Brasil, esse EP simboliza esse momento de volta e o meu amor pela cultura daqui. Enquanto eu morava fora, queria muito voltar pra poder fazer música brasileira, com músicos brasileiros e, agora, 'Novelo' vem para realizar esse sonho, que o Música aos Montes abraçou". 

O EP é resultado de um trabalho coletivo, parte do propósito do selo localizado entre os mares de morros de Belo Horizonte. "Novelo" traz composições de Flor e colaborações com outros artistas, como Dan Oliveira, Lido Loschi, Luiz Henrique Garcia, Davi Leão e Diogo Lucrécio. Outros músicos renomados da capital mineira participaram das gravações, como o violonista Juarez Moreira, o bandolinista Marcos Frederico e Cícero Lucas, percussionista e ator, uma das estrelas de "Marte Um". 

Este é o primeiro EP da cantora, que estreou na carreira autoral em 2023, com o single "Saudade Invade", uma bossa nova que mistura o clássico ao contemporâneo, agora já com mais de 250 mil plays no Spotify. No mesmo ano, Flor lançou "Dia Dourado", que compõe o EP. O choro gravado em tomada única, sem cortes, ressalta a espontaneidade e improvisação natas do estilo musical. 

SOBRE FLOR GRASSI

Da bossa nova ao tropicalismo, coleciona referências como Elis Regina e Caetano Veloso. Filha do diretor de cinema Tiago Arakilian e neta do ator Antonio Grassi, teve a arte misturada à vida desde o princípio. Apesar de muito nova, aos 18 anos de idade, Flor expõe muita maturidade artística - perceptível na voz firme e encorpada que vem encantando o público belo-horizontino.

Em Belo Horizonte, onde reside hoje em dia e também morou de 2015 a 2020, realizou cursos e oficinas no Grupo Galpão e no Grupo Corpo, grupos mineiros mundialmente reconhecidos no teatro e na dança, respectivamente. A rica trajetória e formação artística ajudaram-na a criar clara familiaridade e liberdade nos palcos. Flor Grassi também fez teatro musical na PPAS - Professional Performing Arts, ensino médio profissionalizante de Nova Iorque. 

FAIXA A FAIXA 

Novelo 

A composição de Dan Oliveira e Lido Loschi contou com a participação do grande violonista Juarez Moreira na gravação, que se deixa atravessar por respirações, ranhuras no violão, entre outros elementos sonoros naturais do ao vivo. Destaca-se pela delicadeza e descreve o processo de escrever canções a partir da metáfora do bordado.

Evinha 

Parceria com os músicos locais Cruvinel, Davi Leão e Dan Oliveira, a música celebra o trabalho de grandes intérpretes brasileiras, principalmente Elis Regina. Na canção, a cantora também descreve a angústia da espera por alguém, transitando pelo samba jazz.

Dia dourado

Lançada em agosto de 2023, a música já chega a mais de 140 mil plays no Spotify. Ela compõe o atual EP e traz em peso a sonoridade do choro. Sem cortes e quaisquer elementos eletrônicos, a produção ressalta a espontaneidade e improvisação natas do estilo musical.

Traz influências que atravessam a vida de Flor, desde a infância. O pai, Tiago Arakilian, diretor de cinema e também músico, durante a juventude, possuía uma banda de chorinho. O gênero aparece em peso na canção, que já foi lançada como single em 2023.

Tela

Parceria com o multi-instrumentista, cantor e compositor Davi Leão, a música versa sobre as artes visuais, de forma metafórica. Flor possui grande apreço pela área, um pouco por influência da avó, Elizabete Arakilian, que é artista plástica.

Todos os versos

Feita a partir de uma melodia no violão, criada por Dan Oliveira, a composição foi feita ao lado de Diogo Lucrécio, outro músico de Belo Horizonte. Apesar da ligação de Diogo com o rock, a música parte da MPB clássica, remetendo principalmente a Chico Buarque, e traz até influências do flamenco.

Brasil que cai no samba 

A letra foi composta por Luiz Henrique Garcia no período da Operação Lava Jato e busca recuperar o otimismo e o samba exaltação do Brasil, em um momento de fortes desarranjos políticos e sociais. O arranjo contou com Dan Oliveira e Cícero Lucas, percussionista e ator, protagonista em "Marte Um".

SOBRE O MÚSICA AOS MONTES 

Fundado por Carol Figueiredo em parceria com Dan Oliveira, um dos grandes objetivos do selo é lapidar a musicalidade de artistas e prepará-los para o mercado, oferecendo suporte da composição à divulgação. Localizado em Belo Horizonte, aquece a cena nacional, impulsionando carreiras a partir de um trabalho amplo, que auxilia os músicos a consolidarem uma identidade forte e única em um espaço colaborativo, de troca entre os integrantes.

Dan Oliveira formou-se em violão erudito pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez e violão popular pela Bituca, onde estudou violão com Gilvan de Oliveira e harmonia/arranjo com Ian Guest. Recebeu reconhecimentos como o Prêmio Jovem Instrumentista BDMG em 2012. Como cantor e violonista, gravou os DVDs "Lua Clareou (2015)" com Saulo Laranjeira e "Tênis + Clube ao Vivo no Circo Voador (2019)" com Lô Borges. Dividiu palcos com grandes nomes, como Vander Lee e Cláudio Venturini.

Carol Figueiredo estudou música no Souza Lima & Berklee. Lá, conviveu com grandes nomes da música como Roberto Menescal, Sizão Machado (baixista do Djavan e da Elis Regina), e André Marques (atual pianista do Hermeto Pascoal). Como cantora de Jazz e MPB, produziu dois discos, chamados "Jazz com Tutu'' (2007) e Autoral (2007). Colhendo os frutos do álbum "Jazz com Tutu", apresentou-se no Savassi Jazz Festival Novos Talentos do mesmo ano. Hoje, atua como diretora executiva do selo, manager e atua na produção de shows e festivais.

 

Instagram YouTube | Facebook



SERVIÇO 

Lançamento EP "Novelo" 

Quinta-feira (23 de maio)

Em todas as plataformas digitais

Rio Grande do Sul: MSF foca em populações ainda mais vulneráveis no apoio a vítimas da catástrofe

Equipes atendem pacientes de comunidades em áreas isoladas e levam medicamentos, alimentos e água.

“A situação é devastadora. Quando chegamos e percorremos a região de helicóptero, observamos as cidades do alto e vimos que, em alguns casos, não era possível ver nem o telhado das casas. São quilômetros e quilômetros de água”.

O relato da coordenadora médica de Médicos Sem Fronteiras, Rachel Soeiro, mostra o impacto de uma catástrofe de proporções jamais vistas no Brasil, mas que também impressiona alguém que, como ela, já atuou em diferentes contextos de desastres em outras partes do mundo. “Já trabalhei em vários países com MSF e nunca tinha visto algo assim. É desesperador ver a dimensão dessa catástrofe.”

 As chuvas extremas que assolam o Rio Grande do Sul inundaram, isolaram e forçaram a evacuação de cidades inteiras. Destruíram estradas, derrubaram pontes, entre os inúmeros danos causados à infraestrutura local. Acima de tudo, causaram perdas humanas irreparáveis. Segundo dados ainda provisórios, mais de 150 pessoas morreram e cerca de 100 estão desaparecidas.

Mais de 2 milhões de pessoas foram impactadas e mais de 600 mil estão desalojadas. Abrigos foram improvisados em diversas cidades para receber aqueles que não sabem quando ou mesmo se poderão voltar para suas casas.

Apoio de MSF durante a emergência

Equipes de MSF estão no Rio Grande do Sul apoiando as vítimas da emergência. Estamos colaborando com as autoridades de saúde para facilitar a entrega de medicamentos, água e alimentos em áreas remotas, além de realizar consultas médicas. O acesso está sendo feito de helicóptero, porque os deslocamentos se tornaram especialmente complexos devido à grande quantidade de estradas interditadas.

“Levar atendimento às pessoas que se encontram em uma situação ainda mais vulnerável é uma das principais preocupações de MSF em situações como essa”, explica Rachel. “Muitas vezes a população desses locais já enfrenta situações de vulnerabilidade no dia a dia. Com a emergência, esse cenário se intensifica, as necessidades aumentam e o acesso a essas pessoas se torna mais difícil”, afirma ela.

É o caso da comunidade Guajayvi, no município de Charqueadas, que estava há mais de dez dias isolada e sem assistência. Em colaboração com o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) e a Secretaria de Saúde Indígena (SESAI), MSF esteve nessa e em outras comunidades para levar medicamentos, mantimentos e realizar consultas médicas.

No município de Canoas, estamos montando duas clínicas móveis, com equipes formadas por médicos, enfermeiros, psicólogos e promotores de saúde, que iniciarão o atendimento médico e de saúde mental em abrigos da região nos próximos dias.

Além disso, oferecemos capacitação de maneira remota em saúde mental e apoio psicossocial para 115 profissionais de diferentes áreas nos municípios de Santa Maria e Uruguaiana, que estão prestando apoio a pessoas impactadas pela tragédia. O trabalho de saúde mental no estado vai continuar sendo um dos focos das atividades de MSF, paralelamente às atividades médicas.

“Sabemos, pela nossa experiência, que há uma enorme necessidade de saúde mental e apoio psicossocial em contextos de emergência. As necessidades deste apoio vêm da população, dos profissionais que estão na linha da frente e dos espaços de coordenação de atividades”, afirma o coordenador de saúde mental de MSF, Álvaro Palha.

MSF já havia implementado um projeto de saúde mental para apoiar as vítimas do desastre socioambiental enfrentado no ano passado no Rio Grande do Sul. Entre setembro e novembro de 2023, MSF lançou uma resposta emergencial para ajudar pessoas afetadas por um ciclone e por enchentes em cidades no vale do Taquari, região que infelizmente voltou a ser afetada pelas inundações ocorridas neste mês.

Durante cerca de três meses, fornecemos treinamento para psicólogos locais, equipes de saúde, educação e assistência social, além de kits de higiene e outras atividades de promoção da saúde para as pessoas que tiveram de se mudar para abrigos. Infelizmente as inundações recentes voltaram a afetar o vale do Taquari e MSF já realizou algumas visitas para levar assistência a cidades da região.

Festa da Luz propõe diálogo entre Cidade e Floresta no Hipercentro de Belo Horizonte

Terceira edição do maior festival de arte pública da cidade será de 23 a 26 de maio

Em apenas duas edições, a Festa da Luz tornou-se um dos eventos mais aguardados e celebrados de Belo Horizonte. Para a terceira edição, que tem patrocínio exclusivo da Cemig e será de 23 a 26 de maio, o hipercentro se transforma em uma "cidade floresta" iluminada. O conceito, que guia a curadoria, busca reflorestar – simbólica e esteticamente – o espaço público e o imaginário coletivo. A programação será divulgada em breve.

"A Festa da Luz chega propondo uma ponte entre a cidade e a floresta. Aproximar a cidade da floresta, imaginar uma coexistência entre esses dois ecossistemas é algo urgente. Para nós, a arte tem o poder de traduzir importantes mensagens de formas simples e conectar com a emoção e o imaginário das pessoas. Será uma grande festa que celebra a diversidade, as subjetividades e os encontros", conta Juliana Flores, curadora e diretora artística.

Será a maior edição do evento, com nove instalações, quatro performances, shows de música, DJs e a programação de videomapping com VJs de todo o Brasil. O Circuito da Luz passa pela escadaria do metrô, Edifício Itatiaia, Mirante Sapucaí, Edifício Chagas Dória, Viaduto Santa Tereza e Sula.

A Festa da Luz é apresentada pelo Governo de Minas e Cemig, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Tem patrocínio exclusivo da Cemig e realização da Casinha, Híbrido, Dali, Pública, Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais e Governo de Minas Gerais.

 

FESTA DA LUZ
Data: 23 a 26 de maio
Local: Hipercentro de Belo Horizonte
Programação gratuita
Informações: www.instagram.com/festadaluz.art